[Denúncia] Artista perde prêmio após ter ganhado o mesmo: “Me foi tomado das mãos nos bastidores!”

Paulette com o prêmio nos bastidores, antes de ser usurpado de suas mãos.

Na noite de quarta, 18 de outubro, ocorreu a 5° edição do prêmio Bibi Ferreira em São Paulo, a premiação é uma homenagem ao Teatro Brasileiro, mas parece que nem tudo foram flores nos bastidores do Teatro Santander, em São Paulo.

Paulette Pink, personagem da atriz Paula Sabbatini, é uma famosa drag queen de São Paulo, que também é figurinista, maquiadora, colunista do portal IGay, YouTuber e proprietária de uma empresa de uniformes, teve um prêmio tomado de suas mãos logo após recebê-lo no palco.

Em seu facebook a artista desabafou:

“Fui escalada para criar o visagismo de uma peça de teatro recheada de atores renomados. Idealizei cada traço e dei o máximo de mim para que as transformações fossem as mais realísticas possíveis. E consegui, tanto que a peça foi indicada nesta categoria para o prêmio Bibi Ferreira. O detalhe desagradável é que o nome que constava para o recebimento do troféu não era o meu, mas o do profissional que acompanhou o musical, ou seja, estavam coroando a criatura e não a criadora. É aí, num universo que se diz “entendido”, que a palavra diversidade não passa de balela. Ninguém quer gente como eu por perto – ali eles se misturam apenas entre os iguais. Não deixei barato, pois era a chance de ter um justo reconhecimento depois de uma carreira de mais de três décadas. Com certo esforço, eis que fui convidada a participar da entrega e até mereci fotinho na hora que anunciaram o prêmio. E ganhei em voo solo – embora não tenha subido ao palco sozinha. O ápice desse dramalhão é que fui embora sem o troféu conquistado. O mesmo me foi tomado das mãos nos bastidores… É assim que termina a tal ladainha que fala sobre a diversidade: gente como eu tem que se recolher à insignificância, e gente como eles seguem felizes para o brinde que contempla a inversão de papéis. Triste.”

A peça que a artista se refere é o musical “Forever Young”, com direção de Jarbas Homem de Melo. Segundo postagem da editora Patrícia Favalle “A direção do musical, equivocadamente, não a listou entre os agraciados, deixando que o profissional que tocou a peça fosse o indicado. Um erro grotesco, para não dizer desonesto. A presença dela no evento fez com que a organização a incluísse na condecoração – mas o prêmio era fachada. Nos bastidores tomaram dela!!! Essa é a “diversidade” que o mundinho das artes está mergulhada! Vergonha alheia!!!!”

Confira o vídeo de Paulette ganhando o prêmio:

Confira o texto em seu Facebook:

Após o ocorrido tomar grandes proporções Paulette escreveu uma nova nota esclarecendo que a produção do Prêmio Bibi Ferreira não teve nada com o ocorrido e que foi algo da produção do espetáculo Forever Young.

Queridos amigos,

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer pelo carinho que tiveram comigo, comentando, repostando e até mesmo sentindo as minhas dores a respeito do triste episódio ocorrido na noite de 18 de outubro. Contudo, faz-se necessário um esclarecimento sobre a organização do 5º Prêmio Bibi Ferreira – que nada tem a ver com todo esse enredo; muito pelo contrário, graças a essas pessoas tenho o privilégio e a oportunidade de dizer que sou a primeira artista trans do Brasil a subir no palco e ser agraciada com um troféu na categoria Visagismo.
Por esta razão – e sabendo de todas as dificuldades que as pessoas de caráter atravessam para seguir pelos tortuosos caminhos das artes e da cultura, acho imprescindível isentar a equipe do Prêmio desse contratempo. O meu desagrado é, única e exclusivamente, com a produção do musical, que arbitrariamente resolveu indicar outro profissional no meu lugar. Não podemos, em um país de complexidades abissais, culpar àqueles que nos reconhecem – é fundamental que a gente aprenda a dar nome aos bois e que tenha a coragem de lutar, ainda que seja uma batalha solitária.

Paulette Pink

O que nos resta agora é esperar um posicionamento dos responsáveis pelo espetáculo, que passaram o nome de outra pessoa para a produção do prêmio, e que a maravilhosa Paulette tenha seu prêmio devolvido e o seu devido reconhecimento. Chega de Preconceito!!!

2 comentários

  1. PAULA SABBATINI é responsável pela criação e confecção do espetáculo LILI CARABINA. È uma profissional talentosíssima e profunda conhecedora do seu ofício. Ser humano doce e merecedor de prêmios, aplausos e, principalmente, RESPEITO! Bjs, Paulette. Seu talento é maior que qualquer preconceito. Eu e todos da produção do LILI CARABINA estamos do seu lado!

    Curtir

  2. O Brasil é um país que ao invés de evoluir retrocede.
    Onde já se viu fazer isso com uma profissional, que batalhou, ralou e deu o seu melhor para dar uma cara ao espetáculo em questão. O preconceito já era faz tempo, ou melhor não né, em pleno século XXI isso ainda acontecer é uma vergonha.
    Depois esses “intelectuais” do teatro querem criticar o governo! Pacaba!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s