[Vida e Obra] Lee Strasberg

Lee Strasberg (Budaniv, 17 de novembro de 1901 — Nova Iorque, 17 de fevereiro Resultado de imagem para lee strasbergde 1982) foi um ator, diretor, produtor e professor de arte dramática dos Estados Unidos, nascido Israel Strassberg em Budzanów, no antigo Império Austro Húngaro, hoje Budaniv na Ucrânia, que emigrou criança com a família para os Estados Unidos e se naturalizou cidadão dos Estados Unidos em 1936.

Strasberg é considerado o patriarca do “método”, um sistema de representação da dramaturgia que inspirou legiões de grandes atores americanos durante sua vida. O Método consiste em uma releitura do sistema de representaçao teatral elaborado pelo diretor e ator russo Constantin Stanislavski, diretor por longos anos do Teatro de Artes de Mosco. Em 1931, Lee Strasberg foi um dos fundadores do Group Theatre, uma companhia de teatro que incluía lendas como Elia Kazan, John Garfield e Stella Adler.

Saindo do Grupo por desentendimentos com os outros fundadores em 1935, devido a suas teorias e métodos controversos sobre a arte de representar, em 1949 ele começou uma longa carreira de professor no Actor´s Studio, onde se tornou diretor artístico e revolucionou os métodos de ensino de representação, levando ao auge a reputação de qualidade da instituição. Entre seus pupilos estiveram atores e atrizes como Marlon Brando, Montgomery Clift, James Dean, Geraldine Page, Paul Newman, Eva Marie Saint, Jane Fonda, Al Pacino, Robert De Niro, Dustin Hoffman e a mais famosa de todos, Marilyn Monroe.

Resultado de imagem para marilyn lee strasbergMarilyn Monroe tinha 29 anos quando se tornou a estudante favorita de Strasberg. Durante oito anos a deusa loira do cinema conviveu intimamente com a família Strasberg, chegando a dividir a mesma cama com a atriz Susan Strasberg, filha do segundo casamento de Lee com Paula Strasberg. Objeto de adulação paternal de seu pai, Marilyn provocava em Susan um misto de admiração, desilusão, competição e inveja.

Em seu testamento, Marilyn deixou o controle de 75% de seu patrimônio para Lee administrar, incluindo o milionário licenciamento de sua imagem, em gratidão por sua gentileza e tutela artística e pessoal antes e depois dela se tornar uma grande estrela. Lee passou em testamento os direitos à sua terceira esposa e viúva, Anna, que hoje administra o espólio pessoal de Marilyn, que ainda fatura milhões de dólares de direitos pelo uso comercial de sua imagem em todo mundo.

Pouco afeito a representar diante das câmeras, Lee atuou em apenas sete filmes, sendo o mais famoso deles O Poderoso Chefão II / O Padrinho II , em 1974, no papel de um chefão mafioso instalado em Cuba que sofre a ira de Michael Corleone (interpretado por seu ex-aluno Al Pacino), e pelo qual seria indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante. Uma segunda participação no cinema se deu no filme catástrofe The Cassandra Crossing de 1976.

O Método

Resultado de imagem para lee strasbergMétodo de Interpretação Para o Ator ou simplesmente O Método, como é conhecido, foi desenvolvido nos palcos norte-americanos, principalmente em Nova York nas décadas de 1930 e 1940. Os atores de teatro Elia Kazan, Robert Lewis, Lee Strasberg, primeiro no Group Theatre e depois no Actors Studio, desenvolveram uma forma particular do sistema proposto por Stanislavski a partir dos ensinamentos de Lee Strasberg no American Laboratory Theatre em 1920, focalizando principalmente nas necessidades psicológicas dos atores norte-americanos contemporâneos.

É uma técnica onde o ator procura desenvolver em si mesmo os pensamentos e emoções da personagem procurando criar uma apresentação similar a da vida. Esta procura desenvolver o trabalho do ator sobre suas próprias emoções e memórias vividas, auxiliados por uma série de exercícios e práticas incluindo a memória sentimental e a memória afetiva.

Origem

O método é uma variante do Sistema Stanislavski criado por Constantin Stanislavski e desenvolvido nas três primeiras décadas do século XX e exposto em suas obras em colaboração com vários artistas russos em sua prática no Teatro de Arte de Moscou.

O método influencia a técnica de vários artistas do cinema norte-americano como Marlon Brando, Montgomery Clift, Marilyn Monroe, James Dean, Paul Newman, Al Pacino, Dustin Hoffman, Eli Wallach, Alec Baldwin, Robert De Niro, Jane Fonda e Ellen Burstyn.

Professores

Stanislavski descreveu seu sistema, como ele mesmo o chamou, em quatro livros. Uma autobiografia, e outros livros publicados na forma de um ensaio de teatro, onde um ator iniciante se envolve com problemas de aprendizado: Minha Vida na Arte, A Preparação do Ator, A Construção da Personagem e A Criação do Papel.

Os seguintes professores e atores russos se mudaram para os Estados Unidos, no início do século XX, influenciaram a divulgação das técnicas de atuação do diretor, embora cada um imprimisse características particulares em seus ensinamentos.

  • Richard Boleslawski
  • Michael Chekhov
  • Maria Ouspenskaya atriz que teve entre seus alunos John Garfield, Stella Adler e Lee Strasberg.

Artistas norte-americanos que desenvolveram o método.

  • Lee Strasberg, considerado o mentor principal do método.
  • Stella Adler, atriz, fundadora do Stella Adler Conservatory em Nova York.
  • Herbert Berghof, fundador do HB Studio em Nova York.
  • Uta Hagen, atriz e autora de Respect for Acting e A Challenge for the Actor, que trabalha muito com as técnicas de identidade e substituição.
  • Robert Lewis, ator, diretor e co-fundador do Actors Studio e autor de Method or Madness? (Método ou Loucura)

O método continua a ser ensinado até os dias de hoje em escolas como Lee Strasberg Theatre and Film Institute em Nova York e Los Angeles, no Actors Studio em Nova York, no Stella Adler Studio of Acting em Nova York e Los Angeles, no Edgemar Center for the Arts e no Larry Moss Studio em Santa Monica, Califórnia, HB Studio em Nova York, no Le Studio Jack Garfein em Paris, Palm Beach Playhouse em Palm Beach Florida, entre tantos.

Técnica

Resultado de imagem para lee strasberg
Como o método teve muitos como elaboradores e divulgadores Stella Adler, Robert Lewis e Sanford Meisner, cada um deles tem uma pequena variante no entendimento e na adaptação dos ensinamentos do mestre russo. Mesmo Stanislavski modificou seu sistema muitas vezes durante a sua vida.

Algumas das práticas do método, como descritas por Hull, são relaxamento, memória sensível, concentração, imaginação, concentração, substituição, justificação, exercício de animais, objeto pessoal, momento privado, memória afetiva, canto e dança, monólogo interior, monólogo narrativo, falar para fora, momento a momento e subtexto.

Mesmo Strasberg sendo considerado o criador do método nos Estados Unidos ele acabou se dedicando completamente a Memória Emocional, essa que depois foi estudada mais a fundo pelo próprio Stanislavsky e retirado como um exercício válido para os atores, isso no sentido de reviver as próprias vivências como gatilho principal para o personagem e não a memória análoga.

Lee dividiu esse conceito em memória sensorial (relacionada aos sentidos) e memória emocional (relacionado com as experiências vividas). Parte da ideia de que a formação desses relatórios leva para o domínio do ator sobre os conteúdos inconscientes da sua psique, mostrando uma reinterpretação curiosa de conceitos da psicologia. Estes conteúdos são o motor do desempenho, então a ação é concebida como um resultado e não uma causa e deve ser constantemente monitorada pelos sentidos e concentração. Nas palavras de Strasberg, a ação só deve entrar em jogo quando o ator aprender a reagir ou sentir. Assim, uma grande parte do processo de aprendizagem do aluno ou a preparação do papel, o ator profissional, destina-se a realizar exercícios de relaxamento e emoção-sensorial de treinamento. Para conseguir a liberdade criativa no palco (que nestes termos significa experimentar emoções) é necessário que o ator seja liberado de toda a tensão. É para este fim,  que são desenvolvidos uma série de exercícios que detectam e eliminam a rigidez do corpo. O mais importante e mais conhecido é o exercício “a cadeira”.

  • O ator se senta em uma cadeira e começa a monitorar mentalmente todas as partes do corpo procurando e tentando eliminar o stress. Você pode contar com a ajuda de um parceiro ou o mesmo professor que assuma cada parte do corpo e verifique se você está realmente relaxado. Isso pode ter massagens ou movimentos na área afetada (por exemplo, deixar cair um braço para verificar a tensão). Este exercício abrange da cabeça aos pés e pode durar aproximadamente uma hora.

Segundo Strasberg,  uma vez que o corpo do ator esteja relaxado, a emoção flui desimpedida, para que, no final do exercício, o estudante possa verbalizar e expressar suas emoções através de sons.

Imagem relacionadaExistem muitos outros exercícios além desses. Deve lembrar que Lee sugere evocar objetos até atingir o ponto de misturar várias evocações ao mesmo tempo, por exemplo: (café imaginário durante a leitura de uma carta imaginária). Ele também procura recriar sensações como calor do sol ou de uma dor aguda. Isto também vale para os mais simples até os mais complexos, até para evocar um sentimento geral, como um banho no chuveiro. Além disso, os exercícios são realizados para remover as inibições, tal como o “momento íntimo” ou “momento privado”. O mais correto é executar a ação na frente dos outros, ações que seriam realizadas apenas quando você estivesse sozinho. Este exercício também pode levar uma hora e pode ser misturado com a evocação de objetos ou sensações, etc.

Abaixo os exercícios mais utilizados do método Strasberg;

1)      RELAXAMENTO
Um importante objetivo dessa ação é o método para se livrar das tensões musculares que mantém o instrumento dos atores completamente livre. Strasberg acreditava que os atores poderiam relaxar seus músculos num estado superior de concentração e receptividade.

2)      SENTIDO MEMÓRIA E CONCENTRAÇÃO
O ator desenvolve  concentração através de exercícios de sentido memória. Como o nome sugere, o sentido memória é o uso dos sentidos dos atores em recordar objetos e experiências. Um ator do método começa explorando um objeto real, como uma xícara de café, através de todos os cinco sentidos, em seguida, coloca o objeto para baixo e tenta lembrar a experiência sensorial que o objeto parecia, qual o gosto, o cheiro, etc. Um ator mais experiente trabalharia num exercício recordando uma experiência, como por exemplo,  estar doente ou com fome. Esses são alguns exemplos de exercícios sentido memória que atores mais avançados trabalhariam; sensações, tais como estar na chuva ou calor extremo, explorando um lugar com os cinco sentidos ou explorando um objeto de valor sentimental. Esses exercícios combinados com outros ajudam os atores acreditarem nas circunstâncias da cena dando mais foco e concentração.

3)      MEMÓRIA EMOCIONAL
Nesse exercício o ator usa a memória sentido para recordar experiências passadas. Em vez de tentar lembrar ou forçar uma emoção, o ator recria com seus sentidos as circunstâncias de sua própria experiência. Por exemplo, ele teria que usar a memória para recriar onde estava no momento, o que ele cheirava, os sons que ouviu, etc. Com a prática, o ator pode provocar uma determinada emoção para seu personagem em questão de segundos, bastando recordar um cheiro ou som único.
OBS: ESSE EXERCÍCIO FOI DEIXADO DE LADO POR STANISLASKY QUE MUDOU O EXERCÍCIO PARA A MEMÓRIA ANÁLOGA.

4)      CARACTERIZAÇÃO
Lee desenvolveu também vários exercícios para ajudar os atores a criarem personagens mais verdadeiros no palco. O mais conhecido é o exercício dos animais, onde o ator irá observar um animal e em seguida tentar criar a experiência de ser o animal através dos seus cinco sentidos. Com a prática ele pode pegar vários atributos dos animais e incorporá-los no papel. Um exemplo no cinema desse exercício é no filme Touro Indomável, onde ROBERT DE NIRO incorpora em seu papel os atributos de um caranguejo, o que lhe da a curvatura e movimentos exatos para a luta no ringue, olhando de cima pra baixo é exatamente a figura do caranguejo em cena.

5)      TRABALHO DE CENA
Lee também orientava os atores como trabalhar uma cena. Os atores usam uma lista de perguntas quando estão se preparando para o papel como; Quem sou eu? Onde estou? etc… Este método encoraja o uso da improvisação e de substituição para tornar a cena mais real para o ator (ex: o ator pode imaginar seu melhor amigo no lugar do seu parceiro de cena, se eles tiverem problemas com a relação) Existem muitos exercícios no método e ele se espalha com a visão que cada um teve do sistema Stanislavsky, o que mais se aproxima ou posso dizer mais fiel, é a técnica Adler, o restante são ramificações que bem trabalhadas são muito interessantes para a preparação do ator, como técnica Meisner  e Chekhov, entre outras.

Livros sobre o método

  • Acting–The First Six Lessons de Ryszard Bolesławski
  • To the Actor de Michael Chekhov
  • A Dream of Passion de Lee Strasberg
  • Sanford Meisner on Acting de Sanford Meisner
  • Method—or Madness? de Robert Lewis
  • Advice to the Players de Robert Lewis
  • Respect for Acting de Uta Hagen
  • No Acting Please de Eric Morris e Joan Hotchkis
  • Strasberg’s Method: As Taught by Lorrie Hull de S. Loraine Hull
  • Method Actors: Three Generations of an American Acting Style de Steve Vineberg

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s