[São Paulo] ‘Agonia da morte das fadas’ estreia no Teatro de Contêiner

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
O universo dos contos de fadas fazem parte do inconsciente coletivo e suas imagens estão impregnadas no referencial de narrativas. Cenas como a bela moça branca que comeu uma maçã envenenada, a princesa com o sapatinho de cristal ou o boneco de madeira que quer ser um menino de verdade são comuns a quase todos nós.

No entanto, alguns corpos são escolhidos para estar nesse imaginário negando qualquer outra possibilidade de existência. Meninas negras crescem querendo ter longos cabelos loiros como Rapunzel, garotos afeminados se reconhecem na doçura da princesa Aurora, mas lhe é cobrada a virilidade e bravura do príncipe encantado, entre tantos outros corpos que não são comportados por nosso imaginário.

Resultado de imagem para Agonia da morte das fadas

Desta forma, o Teatro de Gomorra, que em toda sua trajetória verticalizou sua pesquisa numa arte em que lute para que mulheres, LGBTs e pessoas negras possam se reconhecer, revisita essas narrativas para dar nossa voz e nossos corpos para esse universo

E se o abandono de joão e maria for o da população negra? O que é para um jovem gay querer ser um homem de verdade como pinóquio? Por que mulheres são sempre bruxas más na fogueira? Quem de nós nunca se sentiu um patinho feio?

Resultado de imagem para Agonia da morte das fadas

Com direção de Ewerton Correia o espetáculo teatral “Agonia da Morte das Fadas” apresenta três contos clássicos  reformulado que ecoam os gritos daqueles que foram esquecidos pelas fadas.

O espetáculo estreia dia 3 de agosto e tem como propósito trabalhar os contos de fadas sob a perspectiva de LGBT´s, mulheres e pessoas negras.

Direção: Ewerton Correia
Dramaturgia: Ewerton Correia e Maria Fernanda Machado
Elenco: Diego Camelo, Maria Fernanda Machado, Luana Jóia e Valmir PS
Figurino: Matheus Milanelli
Cenografia: Guilherme Rodrigues
Assistência de cenografia: Maria Fernanda Machado
Sonoplastia: Renato Navarro, Lucia Esteves
Iluminação: Maíra do Nascimento
Orientação: Antônio Araújo
Fotografia: Ivana Debertolis, Nrishi Mahe, Diandre Cruz e Daniel Zimmermann
Arte de divulgação: Juliana Piesco
Agradecimentos: Marcelo Denny, Marcos Bulhões, Ferdinando Martins, Maria Ceccato, Lucas Lopes, Raíssa Milanelli, Airton Chrispim, Adelaide Jóia, Érico Casagrande, Guilherme Octavio Teixeira, Abilio Tavares, Alexandre Lopez, Aby Cohen, Nrishi Mahe, Equipe de funcionários do CAC e Alunos de Direção 4 do CAC.

Durante a temporada será exposto o fotolivro “Os Contos que as Fadas Não Contaram” criado em parceria do Teatro de Gomorra com a Casa 1. Ainda durante a temporada será recebido doações de roupas para serem destinadas ao centro de acolhimento LGBT Casa 1

[TW: o espetáculo possui imagens que podem ser consideradas perturbadoras por pessoas com histórico traumático em relação a machismo, racismo ou LGBTfobia]

de 03 a 13 de Agosto
Sextas, Sábados e Segundas às 20h e Domingos às 19h
Teatro de Contêiner Mungunzá
Rua dos Gumões, 43 – Santa Ifigênia, São Paulo – SP, 01028-000
R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia)
classificação: 18 anos

Mais informações: teatrodegomorra@gmail.com
www.facebook.com/teatrodegomorra
Evento no: Facebook

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s