[Quarta Parede] O Envelhecer…

Ao olhar-se no espelho, Talita Gamboa constatou: “Não sou mais a mesma, envelheci!”. Ver as marcas de expressão, rugas e algumas manchas em sua pele, a fez entrar em crise. É atriz, por isso, em sua opinião não deveria envelhecer jamais. Atrizes jovens e bonitas teriam vez, enquanto ela perderia espaço. Este era o seu pensamento… Enlouquecida foi para a academia, afinal precisava manter o corpo em forma. Em seguida foi até a clinica de estética de uma amiga para pedir orientação para um tratamento urgente, assim poderia parecer mais jovem nos testes de teatro e TV. Porém, viu que não iria adiantar muito, e seguindo o exemplo de algumas atrizes pensou que aplicar Botox, seria o ideal para aliviar os sinais do envelhecimento. E ela tem apenas 36 anos…

– Acredite! Uma mulher para se manter nesta profissão precisa ser jovem e bonita! O talento é importante, mas vem em segundo plano! – Afirma Talita para o seu terapeuta, onde há anos desabafa o quanto é sofrido cuidar do corpo, da pele e dos cabelos para poder ter espaço como atriz. – Pode aparecer outra a qualquer momento, mais jovem e mais bonita. Acontece isso o tempo todo! Ser mulher e ser atriz é pior do que ser dona de casa, pois bonita ou feia, os maridos sempre ficam com suas esposas! Mesmo ficando horas e horas com suas amantes…

Com este pensamento, Talita submeteu-se a diversos tratamentos e implantou o Botox. Sentiu-se melhor, sem rugas, sem aquelas benditas linhas de expressão! Agora sim, sua carreira estava garantida. No topo permaneceria! Mas, calma! Uma hora ela precisava aprender uma lição… Durante teste para a montagem do espetáculo “Gata em Teto de Zinco Quente”, texto de Tennessee Williams, que na versão cinematográfica lançada em 1958, a protagonista foi interpretada por Elizabeth Taylor, Talita ouviu do diretor:

– Você é uma ótima atriz! Mas… Não posso aceitá-la no elenco!

– É o meu cabelo? Posso tingi-lo! (Talita sempre manteve os cabelos loiros) Sim, posso ficar como Liz Taylor! Sem problemas, ela é linda! Fico morena! – Implorava Talita, desesperadamente.

– Nesta produção não será possível! Entenda: Eu preciso de uma atriz com expressão! Você tem talento, mas sua aparência não é natural. Reflita, pois o ator de verdade deve envelhecer naturalmente! É bem mais bonito, eu garanto!

Talita ficou chocada! E ainda mais quando descobriu que perdeu o papel que foi de Elizabeth Taylor para uma atriz de 45 anos, enrugada, com os cabelos brancos em evidência e com o corpo sem procedimentos estéticos. Mas mesmo assim, mesmo não querendo admitir, perdeu a personagem para uma atriz linda, expressiva, ou seja, natural, viva e humana. Que droga, não é mesmo? O que vai fazer, Talita? Fraca, perturbada e desiludida, tomou uma grande quantidade de remédios para nunca mais acordar e ver o tempo passar e envelhecer…

Existem diversas Talitas no meio artístico. Na TV, quantas não realizam procedimentos para parecerem mais jovens? O mercado é cruel, principalmente com as mulheres. Porém, devemos combater isso sempre! Há profissionais que envelhecem naturalmente! Leitores, percebam a diferença na novela “A Regra do Jogo”, entre Cássia Kis e Susana Vieira. Ambas tem talento, mas uma se sobressai pela naturalidade da expressão, já a outra nem expressão mais tem…

Envelhecer é parte do estar vivo, e amadurecer é enriquecedor para o trabalho artístico. Aprendemos muito quando ficamos mais velhos. Não existe beleza que ofusque o talento!

Texto de Luana Manso
Revisado por Zilma Barros
Foto: Fernanda Montenegro (Atriz)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s