[Quarta Parede] O Artista Pode Tudo!

Sem querer desmerecer as outras profissões tão necessárias em nossa vida, devo dizer que ser artista, além de sublime por tudo que já foi dito aqui e em outros lugares, é um imã magnético que atrai pessoas muito especiais. A arte lida com a sensibilidade da alma, não é somente uma técnica que aprendemos nas escolas de teatro, é o trato com o nosso interior e, como resultado, atingimos o espectador. Dificilmente um ator é somente ator, um diretor é somente diretor, assim como dramaturgos, que em sua maioria exercem alguma outra função na arte. Somos um pouco de tudo, pois hoje sou mais atriz, porém amanhã preciso ser mais diretora e assim caminha a humanidade cênica.

Sempre vão existir pessoas que nos intitulam artistas pela forma como nos vestimos, agimos e falamos, ou quando simplesmente não o fazemos. É impressionante a capacidade que alguns têm de serem tão tímidos e reservados em sua vida privada, mas quando sobem em um palco… que transformação! Outros são desenvoltos, tagarelas e parecem ter nascido embaixo da luz de um holofote! Nasceram para a arte, de fato. Mas, o artista, muitas vezes é julgado e incompreendido. O garoto calado que somente na pintura dos seus desenhos consegue se manifestar, mostrando o quanto pode ser brilhante, porém, pela família é visto como esquisito e problemático. A garota que ao invés de prestar vestibular para medicina, decide fazer artes cênicas para decepção dos pais, que achavam que iriam formar uma grande médica.

Certa vez, duas garotas que trabalhavam em uma empresa de call center, foram num evento temático do local vestidas com as perucas de duas personagens de ânimes (desenho japonês). Pois bem, suas colegas de trabalho ficaram olhando e rindo de forma debochada, achando tudo aquilo muito esquisito. Uma das funcionárias, que é atriz de teatro, defendeu o direito das meninas, afirmando que aquilo era uma manifestação artística.
– Claro que para você isso é normal, afinal já trabalha nas artes cênicas! – Disse uma jovem que continuou achando aquilo de usar peruca e se vestir como personagem de desenho, muito estranho.
Para quem não conhece, vestir-se como personagens de desenhos, séries e filmes de super heróis, mangás, videogames, ou até mesmo artistas reais, é intitulado de Cosplay. Os envolvidos levam muito a sério esta arte. Gastam fortunas com adereços, perucas e materiais para a construção das armaduras, pois precisam ser fieis às personagens. Um trabalho que aguça a criatividade de muitos jovens.

A arte em si é o estimulo que o universo precisa para sobreviver a tantas coisas. Mortes, guerras, desigualdades… claro, o teatro, o cinema, a TV, os livros, retratam tudo isso, dependendo da obra, porém vemos aquilo como um mundo paralelo ao nosso que nos transporta para a reflexão, a emoção, a raiva, a tristeza, ou a risada. A arte, como ninguém, sabe fazer as pessoas rirem. E sim, sem grandes vaidades, pois vaidade, egocentrismo, egoísmo, inveja, enfim… tudo isso faz mal a nossa profissão. Ser artista nos dá o poder de ser o que queremos por alguns instantes, sendo o público o nosso maior juiz. E certamente no íntimo, muitos espectadores gostariam de estar no seu lugar, caro ator, diretor, dramaturgo, cantor, pintor, iluminador, maquiador, figurinista, cineasta…

Ah, mas todos podemos ser artistas, pois a arte aceita, acolhe e liberta!

Texto de Luana Manso
Revisado por Zilma Barros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s