[Quarta Parede] A Mãe na Arte

A maternidade é o sonho de algumas mulheres. Ser mãe, poder se dedicar à criação de uma criança, que adulto poderá fazer a diferença no mundo pelo caráter e dignidade. Um amor incondicional e indiscutível. A mãe que ama realmente preocupa-se e, por vezes chata e cansativa. Porém, são únicas. Dependendo de sua personalidade, algumas mães demoram em entender que os filhos, depois de criados, vão para o mundo viver sua missão. Não podem e nem devem ser dependentes das mães eternamente. Muitas sacrificam seus trabalhos em nome da criação da prole, ou mantém uma rotina desenfreada entre trabalho e filhos.

E no caso das atrizes? A rotina artística é intensa e agitada, além de toda a instabilidade financeira que a profissão infelizmente nos traz. Muitas artistas conseguem manter a duplicidade de serem mães e profissionais da arte ao mesmo tempo, mas mesmo assim, pode ser bem complicado, pois esta é uma das carreiras mais alucinantes em termos de rotina mas apaixonante, a ponto de ser muito difícil ficar um tempo longe dos palcos para cuidar de uma criança. É uma responsabilidade imensa ter filhos. Quem consegue dar conta desta tarefa de ser artista e mãe, merece aplausos e ainda vive a possibilidade de ter na família um grande ator ou atriz, pois muitos filhos seguem os passos dos pais! Querem exemplo maior do que Bibi Ferreira, filha do ator e diretor Procópio Ferreira? Estreante nos palcos ainda bebê, e hoje, aos 93 anos trabalha como nunca, é incansável, esbanjando energia e vivacidade, além de seu enorme e inegável talento.

Porém, independente da profissão, nenhuma mulher deve se sentir mal por simplesmente não ter dentro de si o desejo de ser mãe. Por mais que se fale no tal relógio biológico, muitas preferem a dedicação integral a uma carreira ou estudos, do que inserir em sua rotina e abrir mão do trabalho em nome de um filho.

A palavra mãe pode ter um significado muito amplo. Existem muitas mãezonas que apoiam e ajudam os artistas nos bastidores de um espetáculo teatral. Quem nunca contracenou com uma atriz repleta de experiências e cheia de sabedoria? E ela, aos olhos do elenco, é a grande mãe de todos, mesmo nunca tendo gerado um filho. O instinto materno é algo natural nas mulheres, seja na atenção com os filhos ou na defesa de um projeto, de um ator menos experiente que precisa de auxílio, na preocupação se todos estão se alimentando bem, até mesmo nos cuidados com o diretor da produção. A sensibilidade da arte aproxima o sexo feminino disso!
Por Luana Manso
Revisado por Zilma Barros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s